Secretaria de Justiça e Direitos Humanos discute ‘Estratégias de prevenção à violência’ com sociedade civil

Discutir as estratégias de prevenção à violência no Nordeste, com recorte para o estado Bahia, foi o tema de uma reunião realizada, nesta quarta-feira (27), na Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH). O titular da pasta, Felipe Freitas, recebeu o diretor-executivo do Instituto de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste – Idene, Adroaldo Quintela; e o advogado da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, Richard Lacrose. O secretário executivo do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Bahia – Codes, Jonas Paulo , acompanhou a reunião.

Felipe aproveitou a oportunidade para agradecer o interesse do Idene e da ABJ em contribuir com a missão coletiva de repensar e aprimorar o tema da segurança, e elencou as principais inovações que o Governo do Estado tem apostado nesse primeiro ano de gestão do governador Jerônimo Rodrigues.

“Inicialmente, agradeço a vocês por essa interlocução qualificada e comprometida com os mesmos ideais. A Secretaria de Segurança Pública passou por uma renovação de estilo e métodos, a partir de um forte investimento em inteligência policial e de uma decisão política de reabrir diálogos com importantes atores da sociedade civil para discutir a produção de dados. Nesse primeiro ano de governo, estamos trabalhando com três principais frentes de aprimoramento do tema da segurança no estado”, pontuou Freitas. Em seguida, ele elenca:

“A primeira frente de trabalho, é o tema da produção de dados, que terá a contribuição da sociedade civil, esta que acumula competências ao longo dos anos com esse tema. Resultado disso, o Governo da Bahia criou um Grupo de Trabalho, instituído via Portaria, que terá a tarefa de aprimorar a política de segurança pública. A segunda coisa, é um outro GT criado, também com Portaria, para discutir estratégias de redução da letalidade, bem como o uso das câmeras nas fardas policiais, aprimoramento dos protocolos, etc. Já a terceira estratégia, é a retomada do programa Bahia pela Paz, o antigo Pacto pela Vida, que foi repensado visando combater à violência e à criminalidade, com ênfase na diminuição dos crimes contra a vida, atendimento e assistência às vítimas de violência e a todas as pessoas que são, de diferentes formas, afetadas pela violência na sociedade baiana”, esclareceu Felipe Freitas, titular da SJDH.

Segundo Quintela, a proposta do diálogo coincide com as inovações pospostas pelo Governo e o intuito é encontrar caminhos para que a sociedade civil e a Academia possam contribuir, cada vez mais, com o tema da segurança pública na Bahia. “Estamos propondo a criação de um Fórum com a participação de diversos atores da sociedade civil, do poder púbico e sistema de justiça para contribuirmos com o diálogo e aperfeiçoamento permanente em relação ao tema da segurança pública. Temos visto a Bahia avançando com alguns projetos e ideias que se harmonizam com nossos propósitos. Que bom que estamos no mesmo caminho”, disse Adroaldo Quintela.

Ao final da reunião, o secretário da SJDH se comprometeu em apoiar o Fórum e aproximar o diálogo das entidades com outras instituições de governo.

Fonte: Ascom/SJDH



Fonte: Governo do Estado da Bahia