Dono da Choquei presta depoimento à polícia sobre morte de jovem após disseminação de notícia falsa

Página assume republicação de notícia falsa e afirma que passa por processo de reavaliação de conduta nas redes sociais

Reprodução/Instagram/@jessicavitoria.canedoJessica Vitória Canedo
Jessica Vitória Canedo morreu após ser vinculada a notícia falsa com Whindersson Nunes

Representante do perfil Choquei prestou depoimento à polícia de Minas Gerais nesta quinta-feira, 28. A informação foi confirmada pela página, que divulgou uma nota onde admite disseminação de notícia falsa que, posteriormente, levou jovem Jessica Vitória Canedo, de 22 anos, à morte. “O proprietário do perfil Choquei prestou esclarecimentos à Polícia Civil de Minas Gerais e apresentou fatos e documentos que contribuem para elucidar o episódio e dar a real dimensão do papel da Choquei no caso. Foram fornecidas provas sobre o fato gerador da notícia falsa, que foi publicada originalmente por um outro perfil e repostada pela Choquei”, declara nota. “Foram disponibilizadas imagens de diálogo que mostram os procedimentos adotados assim que a falsidade foi descoberta, como a retirada imediata do conteúdo falso republicado”, acrescenta. Na ocasião, a jovem anônima foi associada a um print em tom de flerte com Whindersson Nunes. O próprio influenciador negou a veracidade das conversas.

Após uma forte pressão nas redes sociais e debates envolvendo o perigo das fake news, o perfil que integra o ranking de contas com mais engajamento no Twitter/X afirmou estar repensando os métodos internos de comunicação. “A Choquei passa por um profundo processo de reavaliação interna dos métodos adotados visando a implementação de filtros e código de conduta para evitar que episódios desta natureza voltem a acontecer”, afirma documento divulgado nas redes sociais. A página, que está sem postar desde a última semana, prestou solidariedade à família de Jessica Vitória. A polícia ainda não possui outros detalhes sobre as informações falsas atribuídas à mulher, como o responsável pela alteração dos prints e vazamento de informações.

 

 




Fonte: Jovem Pan